Deputado Alemão Fundador de partido Anti-LGBT renúncia após ser pego em festa de orgia gay

Szajer, um alto funcionário e um dos fundadores do partido anti-LGBT + Fidesz de  Viktor Orbán , renunciou no fim de semana depois de ser preso por violar as restrições ao coronavírus na festa de sexo gay.

A festa aconteceu na sexta-feira (27 de novembro), e foi apreendida pela polícia que irrompeu para encontrar um grupo de homens nus.

O MEP, que elaborou a nova constituição homofóbica da Hungria definindo “a instituição do casamento entre um homem e uma mulher” como “a base da família e da sobrevivência nacional”, foi flagrado saindo de uma janela e fugindo pela rua.

Szajer não apresentou identificação para a polícia, mas foi identificado após se declarar deputado do Parlamento Europeu e tentar invocar imunidade diplomática.

Agora, o organizador da orgia se apresentou e insistiu que eles não fizeram nada de errado, apesar das restrições do coronavírus belga limitando o contato próximo com outra pessoa.

De acordo com o The Independent , o estudante de doutorado de 29 anos David Manzheley disse sobre a prisão de Szajer: “Eu não conhecia esse homem. Eu não sabia que ele era um MEP. Nas minhas festas convido amigos e eles trazem outros amigos. ”

Recordando a invasão da polícia, ele disse: “De repente, a polícia estava na minha sala gritando: ‘Carteira de identidade! Imediatamente!’

“Mas nós nem estávamos de cueca. Como poderíamos mostrar nossos cartões de identificação? Isso deixou os policiais ainda mais irritados. Eles eram muito maus e diziam coisas horríveis sobre os gays ”.

Manzheley disse que criou uma regra para supostamente tornar segura a festa de sexo gay – todos os presentes já deveriam ter contratado COVID-19.

Ele continuou: “Para ser honesto, não vejo o problema. Havia duas enfermeiras lá, e elas também não achavam que era perigoso. ”

Na terça-feira (1º de dezembro), Jozsef Szajer se desculpou por violar as restrições da COVID, embora não tenha admitido ter participado de uma festa de sexo.

Ele disse: “Lamento ter quebrado as regras de assembléia, isso foi irresponsável da minha parte, e vou aceitar as sanções que vêm com isso”.

A multa por quebrar as restrições do coronavírus é de € 250 (£ 224).

fonte PINKNEWS

Postagem de LGBT News Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *