men behind a gay pride flag kissing

Empresa húngara é multada por livro infantil com pais homossexuais

Uma empresa de distribuição húngara foi multada na quarta-feira por não emitir um aviso sobre um livro infantil sobre pais do mesmo sexo, horas antes de uma controversa lei anti-LGBT+ entrar em vigor.

O livro de histórias, uma tradução húngara de Early One Morning, do americano Lawrence Schimel, é sobre uma família do mesmo sexo e foi publicado pela Rainbow Families Foundation, uma ONG que defende os direitos LGBT+.

Ver a imagem de origem
foto demonstrativa

Mas a distribuidora, cujo nome não foi divulgado, violou a lei sobre práticas comerciais desleais, segundo um funcionário, e deve, portanto, pagar uma multa de 250.000 forints (700 euros).

“Este livro foi colocado no meio de outros contos de fadas e, portanto, infringiu a lei”,disse Richard Tarnai, um comissário do condado nomeado pelo governo, ao canal de notícias HirTV na terça-feira.

Sua apresentação “não indicou que as histórias continham padrões de comportamento diferentes dos papéis tradicionais de gênero”,acrescentou.

A editora do livro disse na quarta-feira que “toda família merece ter um conto de fadas sobre eles”.

“As famílias do arco-íris são totalmente normais (…) A sexualidade dos pais não é um assunto do livro”,acrescentou a mesma fonte no Facebook.

A notícia chega no meio de uma tempestade, na Hungria e no exterior, sobre uma lei húngara que entra em vigor na quinta-feira e é acusada de discriminar pessoas LGBT+ e equiparar a homossexualidade com a pedofilia.

A legislação “anti pedofilia”,que proíbe a “exibição ou promoção” da homossexualidade entre menores e restringe a educação sexual nas escolas e na mídia, foi recebida com um coro de críticas.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, chamou de “desgraça” na quarta-feira e ameaçou a Hungria com um processo de infração contra ela.

O primeiro-ministro húngaro de extrema-direita Viktor Orban, cujo partido governista Fidesz introduziu a lei, ressalta que o texto visa proteger as crianças. Organizações de direitos humanos afirmam que ela discrimina os cidadãos com base em sua orientação sexual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.